quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

22/12

Sabe..sempre achei que olhares definiam muito as pessoas. Por mais que alguém conseguisse fingir, o tempo que for, ainda tem algo em algum lugar nos olhos que fica diferente, e eu não sei como eu consigo perceber isso, apenas consigo.

E eu percebo que quanto mais eu vou envelhecendo, e quanto mais eu vou vendo coisas inacreditáveis, mais aquele brilho de inocencia vai sumindo dos meus próprios olhos. É me vendo no espelho todos os dias, e percebendo que tem algo estranho, porque eu me lembro de uma inocência que a pouco tempo estava ali...mas que hoje está quase apagada.

E são pequenos momentos que me faz reviver essa inocencia.

É um dia sem preocupações, um dia na praça, na praia, um dia fazendo compras, um dia observando as pessoas indo e vindo, se despedindo e se reencontrando em uma rodoviária. É um sentimento correspondido, aquele sorriso que você queria ver, aquele abraço caloroso e demorado, e aquele beijo. É uma amizade verdadeira, aquele olhar que diz mais que palavras, aquele riso contagiante e aquele entendimento de tudo. É alguém pra confiar, contar aqueles segredos, saber que tem aquele refúgio, saber que é só ouvir aquela voz e tudo se concerta

...é tudo em uma pessoa só.

E qual a necessidade de deixar que aquele brilho suma dos olhos das pessoas? Não sei o quão bom é ver o reencontro de olhares de dois apaixonados. A felicidade no olhar de uma criança ao ver um brinquedo. A saudade gostosa nos olhos da velhinha quando conta longas e detalhadas histórias.

Mas o melhor é ver que o brilho nos olhos da pessoa é por você.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Cenas de filmes

“- Como se sente esta noite minha querida?
- Ótima. Mas gostaria que não me chamasse de minha querida.
- Por quê?
- É assim que meu pai chama minha mãe quando está zangado.
- Como posso chamá-la, então?
- Bem, deixe-me pensar… Lizzie para todos os dias. Minha Pérola para os domingos e Deusa Divina, mas só em ocasiões muito especiais.
- E como devo chamá-la quando estiver zangado? Sra. Darcy?
- Não… não. Só pode me chamar de Sra. Darcy quando estiver totalmente, profundamente e absurdamente feliz.
- Como se sente esta noite… Sra. Darcy?
Um beijo na testa
- Sra. Darcy.
Um beijo na orelha.
- Sra. Darcy.
Um beijo no nariz.
- Sra. Darcy.
Um beijo na boca.”

Orgulho e Preconceito (Final alternativo) - http://endless-dark.com/liege/?p=197

-

1.Romeu: Ri da cicatriz quem nunca foi ferido.
Silêncio! Que luz surge na janela?
Ela é o leste, e Julieta é o sol.
Ergue-te, belo sol, e mata a lua
Invejosa, pálida e doente de tristeza
Por seres, sua vestal, mais bela que ela.
Já que te inveja, não a sirvas mais;
Verdes e doentias são as vestes
Dos que a servem e só tolos mortais
As usam. Sejam, pois, longe atiradas.
É a minha donzela! O’! É minha amada!

Julieta: Como chegaste aqui, e para quê?
Altos são os muros do jardim, bem vês.
E são também difíceis de escalar.
Este lugar é a morte, se és quem és,
Meus parentes vindo aqui a te encontrar.
Romeu: Subi com as asas leves do amor.
Amor que a pedra dura não cerceia.
Pois faz o amor tudo o que ousa querer.
Parentes teus não podem me conter.

Julieta: Cobre-me a face a máscara noturna,
E esconde o virginal rubor que a tinge,
Ao pensar eu no que ainda agora ouviste.

Romeu: Donzela, juro pela lua bendita,
Que pinga prata em ramos, frutos, flor–
Julieta: Não, não jures pela inconstante lua,
Que mensalmente muda a órbita sua,
Ou mudará assim, também, o teu amor

Romeo & Juliet

-

“Não te amo como se fosses rosa de sal,
topázio, ou flechas de cravos que atiram chamas.
Te amo como se amam certas coisas escuras,
secretamente, entre a sombra e a alma.
Eu te amo sem saber como, nem quando e nem onde.
Te amo simplesmente,
sem complicações nem orgulho.
Assim te amo porque não conheço outra maneira.
Tão profundamente
que a tua mão no meu peito é a minha.
Tão profundamente
que quando fecho os olhos, contigo eu sonho.
É assim que te amo
e nada mais me importa.”


segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Fisioterapeuta

Achei um texto muuito maneiro sobre fisioterapeutas no acidez mental...olhaí


Fisioterapeuta é massagista? Não. Da mesma forma que engenheiro não é mestre de obras, farmacêutico não é balconista de farmácia, arquiteto não é decorador, fisioterapeuta não é massagista. Não me venha com papo "estou com uma com tensão aqui nas costas... faz uma massagem?" Vou te mandar tomar no cu! Quer massagem? Contrate alguém que tenha feito um cursinho no SENAC. Não estudei 5 anos, ralei 850 horas de estágio e fiz pós graduação em neurologia pra fazer massagem grátis em pançudo. E se você quiser uma "massagem completa" procure um micheteiro. Ele sim, é o profissional adequado para apagar o fogo do teu rabo.

Fisioterapeuta precisa de dinheiro?

É surpreendente, mas fisioterapeuta também paga impostos, alimentação, combustível, vestuário, etc. E uma coisa bizarra: Os livros, os cursos de atualização, o consultório e as coisas que ele tem não chegam até ele gratuitamente. Impressionante, não? Entendeu o motivo dele cobrar uma consulta?

Não peça consultas grátis.

Pode parecer inacreditável, mas mesmo que tenha se formado em uma universidade pública, o fisioterapeuta gastou uma soma considerável em sua formação. Livros, equipamentos, cursos extra curriculares, alimentação, transporte, etc. não foram gratuitos. Essa soma foi utilizada a título de investimento. E todo investimento tem que ter retorno financeiro. Se você quer consulta grátis, procure o SUS.

É possível examinar um paciente pelo telefone?

Fisioterapeuta não é vidente. Ele precisa examinar pessoalmente o paciente e muitas vezes precisa reexaminá-lo. Se você quer um milagre, procure um padre ou tente uma macumba.

Fisioterapeuta dorme?

Pode parecer mentira, mas fisioterapeuta precisa dormir como qualquer outra pessoa. Não o acorde sem necessidade! Esqueça que ele tem telefone em casa, ligue para o consultório. Se você estiver com dor nas costas e precisar de um analgésico, ligue para o seu médico.

Fisioterapeuta come?

Inacreditável, não? Mas é verdade. Fisioterapeuta também se alimenta, e tem hora para isso.

Fisioterapeuta atende finais de semana e feriados?

Sim. Atende. Desde que seja pago por isso. Desnecessário dizer que nesses casos o atendimento tem custo adicional. Por favor, não pechinche. Ah... Cara feia na hora de preencher cheque não diminui o que você tem que pagar. Se queria mais barato poderia ter procurado outro fisioterapeuta. O combinado não é caro.

Ler e estudar é trabalho?

É trabalho e é trabalho sério. Pode parar de rir. Não é piada.

Fisioterapeuta tem vida social?

Sim, tem. Em reuniões de amigos ou festas de família, fisioterapeuta deixa de ser fisioterapeuta, vira apenas amigo ou parente. Não reclame de sua atrite, nem peça conselhos. Quem dá conselho é tia velha chata e padre. Fisioterapeuta dá diagnósticos. Para isso ele precisa refletir, se concentrar, ou seja, precisa trabalhar. E muitas vezes precisa de equipamentos que estão no consultório, não no bolso do paletó.

Não existe "o que o senhor me aconselha".

Conselho é diagnóstico, diagnóstico tem que ser pensado, pesquisado, estudado, e por sua vez, cobrado.

Fisioterapeuta não é médico.

Se você é gorda feito uma porca e quer um remédio tarja preta para emagrecer procure um endocrinologista. O máximo que o fisioterapeuta poderá fazer por você é lhe prescrever uma bicicleta ergométrica.

O celular do fisioterapeuta.

Celular do fisioterapeuta é uma ferramenta de trabalho. Por favor, ligue apenas quando muito urgente. Fora do horário de atendimento, mesmo que você não acredite, o fisioterapeuta pode estar fazendo alguma daquelas coisas que você pensou que ele não fazia: pode estar assistindo TV, dormindo, namorando ou até mesmo transando.

Antes da consulta

Por favor, marque hora. Se não marcar, não fique andando de um lado para o outro na sala de espera e nem pressionando a secretária. Ela não tem culpa da sua ansiedade. Ah! E não espere que o fisioterapeuta vá te colocar no horário de quem já marcou. Na próxima vez ligue antes. Só venha sem marcar em caso de emergência (que seja realmente emergência), por favor. Quando se diz que o horário de atendimento é até meio dia, não significa que você pode chegar 11:55. Se chegar, volte depois do almoço. O mesmo vale na hora do fim do expediente. Emergência? Claro que o fisioterapeuta atende, mas se estiver fora do horário normal, está fora do preço normal.

Na hora da consulta

Basta um membro da família para acompanhar o paciente para auxiliar a responder às perguntas do fisioterapeuta. Por favor, deixe os amigos do cunhado e seus vizinhos com os respectivos filhos nas casas deles. Não bombardeie o fisioterapeuta com milhares de perguntas durante o atendimento. Isso tira a concentração, além de esgotar a paciência. Fique calado e faça o que ele mandar. Espere o fim da avaliação física. O fisioterapeuta responderá com clareza todas as suas dúvidas. Evite perguntas que não tenham relação com o problema específico. Infelizmente, a cada consulta, o fisioterapeuta só poderá examinar um paciente. Lamentamos informar, mas seu outro parente também terá que passar por consulta e você também terá que pagar por ele. O fisioterapeuta não deixará de cobrar a consulta só porque você já gastou demais com planos de saúde e remédios. Não foram os fisioterapeutas que inventaram o ditado "A SAÚDE NÃO TEM PREÇO".

Esclarecimento final

Uma consulta custa R$ 200. Uma "olhadinha" custa R$ 500, ok?


Fonte: http://www.acidezmental.xpg.com.br/fisioterapeutas.html

terça-feira, 5 de outubro de 2010

04/10

Uma banda qualquer tocava ao fundo, eu nem reparava, de vez em quando prestava atenção em algumas músicas conhecidas, mas sinceramente? Tava muito mais preocupada em me aquecer. E nesse momento eu encontro inesperadamente com seus braços. A lua estava apagada, tudo nublado, a rua estava escura. Não tinha nada de romântico na situação, mas eu me sentia uma personagem do romance mais lindo, apenas por estar conversando com você. Nunca me achei bonita, sempre me achei mais feia que as outras pessoas, que era irônica demais, que não era boa suficiente pra ninguém, muito menos pra ele, mas quando chegava perto eu sinceramente não me importava com nada disso. Na verdade, meu jeito mudava. Sempre que o encontrava, mesmo por pouco tempo, ficava com uma eletricidade no corpo, uma vontade de sorrir. E não conseguia esconder isso, por mais que eu tentava.

sábado, 25 de setembro de 2010

Outro lado.

Saí do meu sonho, acordei e olhei pro lado. Tive a cena mais linda da minha vida. Ela estava deitada na minha cama com os cabelos sobre seu rosto. No começo achei a coisa mais normal já que ela dormia de qualquer jeito. Era uma das coisas que eu tanto amava no jeito desengonçado dela. Só que quando ela acordou e percebeu eu a estava observando, ela me deu o sorriso mais lindo, que ficou mais encantador com os cabelos castanho avermelhados jogados por cima, estrategicamente colocado para me seduzir. Aquele era um dos poucos momentos em que eu rezo para que eu não esteja num sonho, ou que eu acorde e ela continue ao meu lado.

Ele

Eu passei perto dele. Ele começou a chorar. Eu nunca tive jeito com criança. Eu sempre fui estabanada, e ele era tão miúdo, tão pequeno. Até que eu criei coragem pra colocar meu dedo perto da sua mãozinha. Ele a segurou com força, e seus gritos se cessaram. Como se me dissesse sem palavras que agora ele poderia ficar calmo já que não estava mais sozinho no mundo. E pacientemente esperei ele dormir, até que a força que ele tava usando na mãozinha para segurar meu dedo foi cessando vagarosamente. E quando eu percebi que ele havia dormido eu logo fui dormir, porque amanhã quero que ele acorde comigo ao lado.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Infinito

Não queria algo clichê. Não queria nada parecido com algo escrito ou falado. Eu queria que você entendesse que o que eu sinto é uma coisa única. Pelo menos para mim.

Meu sorriso ficou inteiramente conectado aos meus olhos e ao meu coração. Meus ouvidos ficaram aguçados a procura da sua voz, e meu olfato ficou viciado com seu perfume.

Eu descubro do jeito mais bruto que eu sou completada por você. Nutrindo diariamente meu humor, me ensinando coisas da vida, me dando lição de amor.

Quando que a palavra amor que antes parecia grande ficou infinita?

Eu que sempre fui animada, risonha e tagarela automaticamente fiquei largada, mergulhada em um mundo de "por quê's". Assustada.

O tempo não passava de jeito nenhum, ele como sempre me mostrava que eu era escrava dele. As pessoas falavam e eu me abstraía. A matéria era dada e eu não me concentrava. As vezes forçava um sorriso pra tirar um pouco de preocupação daqueles que me querem bem.

Até que depois eu te vejo. E como a idiota que sou, faço o que desejo. Te abracei, já que seu abraço para mim é um vício.

O que eu faria depois do abraço? Queria tanto te guardar para mim.

Te olhei, e nele vi a ternura de sempre.

-Está tudo bem?

- Sim, e com você?

-Também.

Silêncio.


* Fingir na hora rir - Los Hermanos ("Pois eu, eu só penso em você, já não sei mais porque em ti eu consigo encontrar, um caminho, um motivo, um lugar, pra eu poder repousar meu amor")
* Sorrindo - Aliados 13 ("O veneno que jogaram na minha alegria virou o soro contra toda tristeza. Ganho mais um dia em minha vida agradeço e vou atrás sorrindo.")

ieeeei o/

Então, fiquei longe um booom tempo. Seguinte. Eu estou numa maratona de textos velhos, eu fiquei longe do blog mas não fiquei longe do papel e da caneta. Alguns textos eu escrevi de sonhos, outros de coisas que aconteceram comigo, outras que aconteceram com outras pessoas e tal. Outros textos eu descobri no fundo do baú. A cada agenda, diário, caderno meu tem algum texto que eu realmente não lembrava ter escrito, mas lembrava da situação. Nostalgia gostosa. Espero que gostem. E sobre o e-mail não deu certo, então usarei meu e-mail original mesmo - ocrelier@hotmail.com . Quem quiser mandar um texto ou uma continuação de um texto meu é só mandar pra mim.
beijinhos :3

Oposto

Seu idiota, o que você escreve é totalmente o oposto do que você pensa ou do que você age.
(ignorem essa indireta, espero que faça efeito a pessoa direcionada)

quinta-feira, 29 de julho de 2010

29/07

Sua voz me guia na escuridão.

Quando acho que tudo está perdido, de repente de algum lugar eu ouço sua voz, cantando minha música preferida.

Primeiro sua voz estava leve, calma e baixa. Acalmou meu coração, diminuiu meu desespero.

Depois sua voz ficou encantadora, tentadora. Me fez esquecer os problemas e me embalou na canção. Fiquei com vontade de cantar junto, mas por mais que minha voz fosse afinada não iria ser tão envolvente. Preferia apenas fechar os olhos e ouvir.

De repente sua voz ficou grave, desejosa, urgente. Cada palavra era dita com força, como todo aquele desejo imposto. As palavras faziam sentido e ficavam mais claras. Sentindo aquela sensação de compreensão.

No canto do quarto sento e começo a entender porque ouço sua voz, que num momento inesperado me faz sentir conforto e felicidade momentânea, porque infelizmente nada dura para sempre. É como uma mensagem pra me confortar nas horas em que ando tão down.

Uma melodia que te dá tudo que você poderia desejar! Mesmo que por pouco tempo no relógio, mas pra eternidade na consciência! Uma mensagem de conforto para abrir seus olhos e te mostrar que o escuro que você vê não é nada, ou que nada pode se comparar diante de tanta coisa que está por vir.

Acompanhando a letra, mesmo tão ocupada, mudando de assunto! Para alguém que um dia você espera aparecer na sua frente, pra lhe dizer segure minha mão, eu sou o teu porto seguro! Pode caminhar diante do abismo de olhos fechados, porque antes que caia, estarei por perto para apartar tua queda! E se cair-te, te levantarei imediatamente!

E no clímax dos meus sonhos em nossas veias, em nossos olhos, os círculos do medo, Eu apego-me a você tão frio tão brilhante. De faces imóveis, paradas na inutilidade, na pálida tristeza eu fico seguro e calmo!

-

Comecei o texto e ele foi finalizado pelo nada mais nada menos Eric Pherson, vulgo Kabum. ( http://toquedomal.blogspot.com/ )

Ênfase em uma frase que grudou: "...que o escuro que você vê não é nada, ou que nada pode se comparar diante de tanta coisa que está por vir."

Ouvindo enoluquecidamente "Moon On The Water (full Moon Sway) - Beck" e "Angels - Jack Johnson"

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Já fui

(texto velho)

Já fui mais sorridente, já fui mais segura, já fui mais besta, já fui mais paciente, já fui mais calma, já fui muito tímida. Já fui trabalhadora, já fui princesa, já fui anjo, já fui peste, já fui loira, ruiva, morena, já fui do norte, do norteste, do sudeste. Já chorei, já ri, já fiz poesia, já magooei. Já amei, já odiei, já corri e rodopiei no meio de um shopping como criança. Já cantei no meio da praça, já tomei caldo na praia. Já disse que te amo, já disse que te odeio. Já fiz pedido pra lua, já me contentei com o calor do sol na falta do seu abraço. Já quis te esquecer.

Hoje só quero ser tua.

.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

22/07

Os dois sentaram na grama, como se fosse o melhor lugar do parque. Lá podia-se ver tudo e ninguém conseguia enxergá-los. Ela olhava constantemente pro horizonte alaranjado como se de lá conseguisse uma resposta. E ele distraído como sempre, com a coca cola na mão observava as formigas passearem perto dos seus pés.

- Eu sou estranha. - Disse ela.

Ele a olhou atentamente tentando decifrá-la, mas como sempre seu sorriso estava intacto , mas seus olhos estavam vazios.

- Por que acha isso? - Ele falou.

Uma lágrima forçou a correr os olhos dela, mas ela não queria parecer fraca.

- Gosto de quem não me quer, e machuco quem eu gosto. Como se eu fosse predestinada
a ficar sozinha.

Ele não sabia se ficava triste pela declaração óbvia de que ela não gostava dele ou se ficava feliz por ela confiar tanto nele pra dizer essas coisas.

- Isso não é ser estranha, isso é ser humana. Do mesmo jeito que quem eu gosto não me quer.

Ela o encarou pela primeira vez desde o começo da conversa. Olhar nos olhos dele fazia com que os seus problemas sumissem, e ela queria que eles ficassem constantes naquele momento na sua cabeça, pra poder descobrir tudo.

- Como é essa garota? - Ela falou numa voz quase inaudível.

Ele se assustou de início, mas logo voltou a sorrir pensando se valeria a pena ser sincero ou não.

- Ela é doce. - Ele falou pausadamente - Sempre foi muito alegre. Mas é uma alegria incomum, é contagiante. Ela é linda, pelo menos aos meus olhos. Tem uma pele macia, tentadora a ser tocada. É tão desastrada quanto eu. A voz dela pra mim soa como música. É delicada, mas ao mesmo tempo forte. O que me intriga apenas são seus olhos, que nem sempre entra em conjunto com seus sorrisos.

Sem perceber ela desviou o olhar. Seria ela? Ela lembrou que ele tanto perguntava o porque daqueles olhos tristes. Como isso era possível? Por que ele nunca demonstrou?

- Mas deixando de falar dela, como é o seu?

Por onde começar? O que falar? Até que veio uma idéia. Segurou discretamente as mãos dele ainda olhando pra baixo.

- Ele tem uma brabeza engraçada. - Ela sentiu ele apertar a mão dela - Sempre que chega perto de mim, parece que vigia todos os próprios passos para não me machucar ou algo parecido. - Ela olhou o rosto dele que tanto parecia surpreso como feliz, indicando que realmente era ela. - Ele tem uma beleza incomum, uma beleza que se destaca. Tem um sorriso lindo, que me cura. - Ele segurou o rosto dela. - Ele tem um poder incrível sobre o meu humor e meu pensamento.

Houve um silêncio.

- Mas o que me incomoda é o porque que eu sempre achei que ele não me notava.

- Impossível não te notar. - Ele disse antes de beijá-la.

Ela tinha se esquecido como era se apaixonar, e aquela sensação lhe preenchia de um modo que faria tudo pra ficar daquele jeito pra sempre.

Depois do beijo ele distanciou e esperou ansiosamente ela abrir os olhos. Quando ela abriu ele percebeu que aquela solidão escondida havia sumido, e ele acabara conhecendo um novo olhar. Um olhar de amor.

PS1 : Tem coisas que eu não sei descrever, tem coisas que eu não descrevi bem, mas o que importa é que eu tentei.

PS2 : Para os chatos fofoqueiros, isso é ficção. (aproveita agora e vai cuidar da sua vida)

PS3 : Esqueci de escrever no outro post, mas quem quiser escrever continuações dos meus posts, ou até textos próprios pra eu postar aqui, só mandar pro e-mail pequenaori@hotmail.com

Embalada por Bazar Pamplona - Era dela. (O sorriso que ela abria era a coisa mais bela. As canções eram dela pra ela cantar, e o mundo se espremia pra ver ela na janela. As minhas palavras eram dela.)
*sonhandocomalguémcantandoissopramim

domingo, 11 de julho de 2010

11/07

Fecho o olho. Persigo uma gota d'água. Ela sai da nuvem, entra em uma decida brusca sem para quedas, e aterrisa intensamente em algum lugar. Lá, ela espera o tempo que for para evaporar e retornar a nuvem.

Minha metáfora é que somos representados pela gota d'água. A nuvem é aquele lugar, aquela pessoa, aquele tempo que tudo estava perfeito. A queda é aquele momento que você vê o seu mundo desmoronar. E por final o baque é o momento que você crê que nada mais tem sentido, e você apenas espera sumir, até que evapora.

Terá sempre o vento pra prolongar a sua queda e sempre terá algo que o incentivará a evaporar rápido. Mas quando você "evapora", tem sempre a nuvem pra te acolher.

---
EDITADO

Feliz um ano de blog. Iupi o/

quinta-feira, 8 de julho de 2010

08/07

Nunca fui muito fã de certas músicas, mas sempre respeitei por que sempre tem alguma pessoa no mundo que gosta delas, e se o objetivo principal de uma música é nos entreter, por que marginalizar certos estilos de música, certo?

E uma outra teoria minha é que em todos os estilos de música vai ter pelo menos uma música que vá me agradar.

Mas isso não é o que eu queria falar.

Eu queria falar na verdade de uma crítica. Ou melhor, eu queria criticar uma crítica.

Tem músicas que quando ouvimos é como se fosse a melhor coisa do mundo, nos alegrando, nos lembrando de situações boas, ou até mesmo ruins. Mas você é você, e eu sou eu. O que te faz pensar que colocar aviões do forró no máximo do volume do lado da minha casa vai alegrar a alguém que não seja você? Ainda mais num domingo, dia gostoso de descansar, de ficar em casa, de se curtir comendo uma bela e gordurosa pizza.

E você que fica no onibus com o celular tocando música da sua religião no topo do volume? Não pensa que pode ter um ateu no onibus? E que ele não vai se ligar a letra da música que você acha linda? Que ele só vai ficar imaginando uma cena deliciosa dele pegando o seu celular e tacando janela a fora?

E o mais importante, o que faz você seu trouxa, pensar que por que você gosta de um estilo de música todo mundo tem que gostar? Tem agora os coloridos que gostam de um certo estilo, que pra mim é tão estranho quanto meu vizinho que ouve aviões do forró, mas nem por isso eu espanco, xingo, brigo, aterrorizo por causa disso. As vezes até brinco, fico dançando o forró estranho aqui em casa, uma das coisas que faz minha mãe rir.

Então, por que você seu trouxa que reclama tanto do pirralho sem noção que coloca o funk dele no último volume não compra um fone pra você, liga no seu celular/mp4 e sinta-se feliz com a sua música preferida? Ou se você é mais radical, por que não compra um daqueles fones de 1 real e começa a distribuir pelos onibus a fora?

Seja feliz. Tenha paciência com quem ouve estilos estranhos, procure uma semelhança entre vocês, para de ser egoísta, curta a diferença e descubra coisas novas. Seja eclético. E para de me encher o saco!

Continuação do texto "02/07"

Como eu sempre fui péssima pra terminar textos, um amigo meu acabou escrevendo esse "final" do texto daqui de baixo...e ficou legal o/. Taí:

Chegou o grande dia, para ele um dos dias mais importantes de sua vida: O dia de conquistar a mulher de sua vida. A ansiedade lhe consumia por dentro, ele suava, estava nervoso e tremulo, com medo de errar, falhar ou de por um acaso ser grosseiro.
Ficou com uma grande dúvida na hora de se vestir. Estava com medo de se arrumar de mais e ela ir simples e bem a vontade, ou do contrário acontecer.
Vestiu umas 10 combinações de roupas diferentes e decidiu ir com uma simples calça jeans e uma blusa social, para não parecer tão sério e nem tão simples.
Se perfumou pouco para ela não se incomodar com o perfume. Chegando ao local combinado, ela se atrasou um pouco e milhões de coisas nesses pequenos dez minutos que se passaram,passou na cabeça dele. "Será que ela desistiu? Será que ela ficou com medo de mim? Será que ela não vem?". Já desesperado olhando de um lado para o outro, como um leve suspiro em seu ouvido ele ouve aquela mesma voz que lhe cativou dentro daquele trem.

-Oi

Em uma velocidade incrível ele olha para atrás para procurar ela, e com um lindo sorriso ela já o observava há alguns minutos, acompanhando a ansiedade dele.

-Oii - ele diz - Você está linda! - um simples elogio que arrancou do rosto dela um lindo sorriso.

-Obrigada

Ele meio que sem jeito observa ela com cuidado para não parecer grosseiro, e vê que ela vestia um lindo vestido até os joelhos que mostravam o quanto ela era simples e maravilhosa. Os dois caminhavam em direçao ao cinema calados e tímidos, como duas crianças. Chegando lá uma das piores dúvidas ficou na cabeça dele: "Qual filme escolher?" Ele pensou de imediato em assistir um filme mais romântico achando mais adequado a ocasião. Depois de um silêncio desde o encontro na praça, ela diz:

- Vamos assistir qual?

- Não sei, pode escolher. - "Tudo menos terror",ele estava pensando sem parar, pois ele sentia um certo medo.

- Humm então eu gostaria de assistir esse aqui. - ela apontou justamenta para um cartaz de filme de terror.

Ele prontamente aceitou como se fosse super normal para ele. Durante o filme, quando foi chegando na hora do suspense, o coração dela começou a gelar e o medo tomou conta de todo o seu corpo. Ele vendo isso apenas segurou a mão dela para não querer ser abusado. E cada momento que passa ela vai ficando mais assustada, e apertando a mão dele mais forte, e mais forte. Ele também segura a mão dela com firmeza e suavemente coloca a sua mão sobre o ombro dela e a abraça para mostra-lá que este era o abraço mais confortável e seguro que ela poderia encontrar em sua vida.

terça-feira, 22 de junho de 2010

Amnésia

E hoje, logo hoje que eu quis me dar uma ilusão de um final feliz. Meu coração que estava tão calmo e ritmado a pouco tempo atrás, de repente acelerou e como uma bomba contagiou meu corpo. Senti meu sangue correr nas minhas veias.

Será que a sorte me abandonou novamente?

Um amigo meu me disse uma vez que sorte não existe, mas é tão estranho, mesmo que eu não faça nada, tem sempre alguma coisa que irá atrapalhar. Chegei a conclusão que quando não tem coisas atrapalhando no mínimo é a sorte que todos falam.

Nunca gostei de situações ocorridas contadas pelos outros, e sempre odiei minha amnésia. Nunca fui num médico, mas quando criança sempre tive dor de cabeça, quem sabe tem alguma coisa a ver.

Que seja, só sei que essa minha amnésia passageira e seletora sempre acabou comigo.
Sempre que preciso fazer alguma coisa importante, sempre que eu faço alguma merda sem perceber, sempre que tem uma situação na qual é mais do que necessária eu lembrar é aí que ela entra.

Alguns acham até que é brincadeira por que eu lembro de tantas coisas inúteis, mas tantas coisas marcantes eu esqueço.

E o pior que isso as vezes acaba com coisas que são importantes para mim.

Hoje, por um momento, queria voltar a um tempo do passado, em que eu ria de doer a barriga, que eu via uma outra casa tão acolhedora quanto a minha, que eu tinha pra onde fugir, que eu tinha um lugar pra chorar e que ao mesmo tempo era um lugar pra rir.

Alguém cria a porra da máquina do tempo logo por favor?

ps1.: Desculpa, eu disse que ia animar um pouco o blog...mas tá meio difícil...vou ver se volto só quando o meu humor melhorar, ok?
ps2.: Para os nerds que falam que não pode criar a máquina do tempo por que modifica o futuro, eu quero uma parte do passado do jeitinho que era, só quero revive-lo, não modificá-lo.
ps3.: Por que textos triste são mais fáceis de escrever?

quinta-feira, 17 de junho de 2010

17/06

Eu ia andando no mesmo ritmo da música, meus lábios não se aquietavam e iam se mexendo de acordo com a letra.
-
Se soubesse o quanto isso me dói, se soubesse o quanto não olhar pro mesmo lugar na mesma intensidade que seus olhos me demonstram me deixa frustrada, se soubesse que queria amar a todos na mesma intensidade que os mesmo desejam, se soubesse que tudo o que eu queria é que as coisas se encaixassem como um quebra cabeça, que todas as coisas se juntassem devido a sua própria natureza, não me olharia desse jeito.
-
Óculos escuros e o horizonte sorrindo pra mim, a água brilhava me chamando pra que me juntasse a ela. Meio relutante lhe disse que não, não aquela vez, uma próxima quem sabe.
-
Senti tanto carinho por ele...como se ele fosse algum dia uma pessoa que me fez muito bem sem eu ter percebido, como se fosse um anjo.
-
Tantas pessoas acham estranho o por que que eu o chamo de "meu anjo". Não digo que eu planejei isso, foi de repente, como uma luz, eu apenas comecei a chamar de anjos aqueles que me faziam bem, conscientemente ou não.
-
Por favor, me ajude, eu não consigo definir isso.
-
Eu achava incrível, eu não conseguia entender. Ela chorava e implorava "por favor, volte para mim". Como ela poderia fazer isso, como ela pôde jogar todo o orgulho dela no lixo por um idiota como ele? Será que ela estava em um estágio tão alto de cegueira que não conseguia mais ver o que é certo e o que é errado? Eu lhe perguntei o por que? Ela me respondeu com os olhos encharcados "por que eu o amo". Eu lhe falei "não quero nunca sentir um amor desse", ela enxugou seus olhos, segurou meu rosto e falou "Não diga isso até você sentir seu coração bater em conjunto daquele que você ama e transformar isso como uma droga viciante".
-
Sem finais felizes por enquanto.
-
Ouvndo The wombats - Patricia The Stripper

segunda-feira, 7 de junho de 2010

07/06

Ela entrou no carro e fechou os olhos. Imaginou que tudo o que tinha acontecido era apenas um sonho, ou melhor, um pesadelo.
As coisas são tão simples e sempre tem alguém pra confundir o que já tava no lugar. Mas dessa vez foi demais. A raiva e o ódio estavam crescendo dentro dela de um jeito que ela nunca havia sentido antes, o desprezo, o nojo....como alguém poderia ser tão medíocre a esse ponto? Qual é a droga do problema?
Mas quando abriu os olhos nada havia mudado. Por que as coisas não poderia ser mais simples. Abriu a porta com mais força do que queria, e fechou com mais força ainda. O barulho ecoou pela rua como uma prova de que ela estava sozinha mais uma vez. A solidão a inundou, seus olhos arderam mas ela não chorou. "Não vou dar esse luxo a quem me odeia". Andou com passos firmes, bateu na porta e esperou calmamente até que abrissem a porta. O silêncio era tão absoluto que ela conseguia ouvir os passos dentro da casa chegando cada vez mais perto da porta. Até que ela se abriu.
[...]
-
Por que falar simplesmente "não seja idiota" não ajuda? Quer que eu faça um texto dizendo o quanto estúpido tá sendo a sua atitude? E quanto sem paciência eu to em dizer coisas que eu já repeti, já demonstrei que estou com razão e você não muda?
Vai ter uma hora que vai acabar perdendo as pessoas que te amam, e eu não vou poder fazer nada por que estarei junto dessas pessoas.
-
Raciocínio...apenas raciocínio, nada mais que raciocínio. E por favor...vá a merda!

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Segunda mãe.

Texto beeem antigo...


Entrei naquele quarto pequeno, e logo a sensação familiar de que aquele não é o meu lugar povoou minha mente me deixando tentada a fugir dali, mas apenas por ela estar ali eu segui em frente.

No caminho encontrei tantos olhares acusativos e aliviados, tão contraditórios quanto os meus pensamentos. Até que o caminho até a cama donde ela estava, serena e desligada do mundo se transformou em um abismo maior do que eu havia imaginado parecer. Não consegui chegar perto. Ah como hoje eu me arrependo disso. Fiquei sentada no sofá que se localizava na frente da cama, me dando uma visão ampla das feições que estavam tão normais que eu chegava a me surpreender. Senti meus olhos arderem e encherem de lágrimas, mas me fiz forte pra ela. Me fiz forte por ela.

Naquele momento cheguei até sentir um pouco de inveja de tão serena que ela estava imersa em seus sonhos. Paz era a única coisa que eu necessitava naquele momento. Com o tempo acabei ficando cansada e deitei no sofá e forcei o sono chegar implorando para que não tivesse sonhos.

Meus sonhos atendendo aos meus pedidos foram vazios, incompreensíveis e esquecidos, e no meio da madrugada eu acordei e vi uma outra mulher em pé ao lado dela, segurando sua mão. Talvez o desgaste, tanto mental quanto físico, ou apenas o cansaço não me fizeram ver a cena nitidamente, mas eu percebi que aquela mulher era a minha avó. Não do jeito que a conheci, velha e vagarosa, era a minha avó completamente diferente. Ela estava nova, usava um vestido claro que realçava seu corpo violão, magra, cabelos castanhos, longos e lisos, e um sorriso que eu sabia já ter visto em algum lugar. Talvez quando ela olhava para mim e me dizia “minha neta preferida” como se eu fosse um milagre. A sua mão segurava a dela mesmo inconsciente. Depois de perceber meu olhar fixo, minha avó finalmente direcionou o dela ao meu por um longo tempo, até tornar a olhar para ela, seguindo de uma lágrima que caiu de seu rosto sem desfazer seu sorriso e seu olhar que era um misto de alegria e alívio. Como por despedida olhou mais uma vez para mim e sumiu.

Voltei a dormir e só acordei depois que ouvi a minha tia chegar ao quarto.

As lágrimas que um dia caíram insanamente foram interrompidas apenas para dizer de uma forma quase inaudível “Eu sinto muitas saudades do seu sorriso vó”, e a cada gota que cai dos meus olhos eu vejo uma lembrança que eu queria guardar para nunca mais esquecer, principalmente do riso que me contagiava e sempre me dava ânimo para começar uma nova semana.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Desabafos de uma quase bêbada.

O quanto idiota eu sou em seguir as coisas denominadas certas/éticas?
Eu sempre tento fazer o que sempre me ensinaram sobre o que é certo, mas quanto mais eu vou vivendo mais eu vou percebendo o quanto as pessoas estão descrentes com esse valores.
Se eu resolvo fazer uma coisa certa eu sempre machuco alguém e/ou me machuco. Quando eu me "emputeço" e resolvo fazer do jeito errado acontece a mesma coisa.
Eu sempre tive um dom de sempre escolher o errado, um exemplo infantil pode ser as minhas provas. Quando eu não sabia a matéria e tinha uma múltipla escolha eu sempre ficava em dúvida em duas respostas e a resposta certa nunca era nenhuma das duas.
Só que a partir do momento em que essas minhas escolhas erradas atingem pessoas que eu gosto, é como se pedaço de mim fosse destruído aos poucos. Tem uma hora que isso cansa.
Quando eu era mais nova e aconteciam coisas que eu não gostava, eu brincava de um modo diferente. Eu ia pro meu quarto, fechava tudo e não deixava entrar um feixe de luz, fechava os olhos e fingia que eu estava em um mundo diferente onde só existia escuridão. Fazia força para que todas as coisas que me atormentavam sumissem da minha cabeça e ficava num momento "em coma". Hoje em dia isso não faz mais efeito. Se eu entro na escuridão ela me seduz e me prende para que eu fique nela pensando cada vez mais nos meus problemas, mas não em uma solução, e sim para que eu sempre me lembre que tem alguma coisa de errado.
Ultimamente eu peço uma coisa simples, uma coisa que nem deveria ser tão complicado.
Paz!
Aó um pouco. Um pouco de respostas, um pouco de caminhos certos, um de quem sabe sorte, assim quem sabe isso não faça com que minha alegria de antes volte?
Enquanto isso não acontece vou me deixar levar pelas coisas que me escolhem, que ultimamente são as coisas que realmente me importam.

domingo, 30 de maio de 2010

Quero...

Eu quero um abraço, mas um diferente de qualquer outro, um que faça com que meu coração bata em conjunto com o outro, que seja demorado, que seja caloroso, que seja silencioso.
Quero receber um olhar que veja minha alma e tente decifrar aquilo que me confunde.
Quero um dia ensolarado para que possa sumir toda a ilusão da escuridão, do desconhecido, do invisível.
Quero um filme que brinque com a minha realidade pra que eu possa esquecê-la.
Quero um cheiro que me relembre todos os momentos que eu queria que voltassem.
Quero uma paz que não seja monótona.
Quero uma adrenalina que não seja perigosa.
Quero uma música que eu possa cantar alto, gritar e que todos que conseguirem ouvir cantassem juntos.
Quero toda a verdade do mundo.
Quero conhecer o raro.
Quero escrever algo que decifre todas as malemolências desse mundo.
Quero ser tudo e ao mesmo tempo quero ser nada.

domingo, 9 de maio de 2010

Apenas viva

Não, o mundo não é um mar de rosas, nem novela, nem conto de fadas. Mas nós complicamos, e muito. E quanto mais eu acho que aprendi tudo nessa vida, eu vejo que não aprendi absolutamente nada. Por isso o verdadeiro sábio é aquele que, no fundo, sabe que não sabe de nada.
O tempo nunca vai voltar, o que aconteceu já aconteceu e não vale a pena perder o presente por causa do passado. Mas o sol realmente nasce todos os dias, uns dias forte e bonito, outros dias quase imperceptível. Mas ele sempre está lá e sempre estará. E por mais que existam dias que seja quase impossível se levantar , é de suma importância que se levante e viva. Por mais que no início apenas sobrevivamos, com o tempo tudo passa, tudo cura. Tudo mesmo. E depois disso tudo, aí sim você estará vivendo.
Assim como existe o mal, existe o bem. Nunca esqueça disso, e foque sempre no bem. Existem pessoas maravilhosas nessa vida, que são como anjos que te ajudam nos piores momentos e te fazem rir quando você não vê mais motivos para isso. Dê valor a esses anjos. E lute para apagar da sua cabeça tudo de ruim que aconteceu e que te faz mal, embora seja muito difícil, tente, vale a pena.
E acima de tudo aproveite cada dia, cada momento, cada sentimento, enfim, tudo e qualquer coisa boa, como se fosse a última. Porque realmente pode ser. A vida é surpreendente e totalmente incerta. Não aprenda a viver, ninguém aprende. Apenas viva.

Vi aqui : http://ricardocdd.blogspot.com/

quarta-feira, 21 de abril de 2010

21/04

Acordei desesperada e de mal humor, meu celular nunca me acorda. Será que meus sonhos eram tão tentadores que nem o barulho estrondoso do celular me fazia desgrudar dele? Na minha cabeça a cena se repetia inúmeras vezes aumentando a minha dor de cabeça, fazendo com que meu humor piorasse gradativamente. O quão idiota eu era naquele momento por acreditar que ele me amava? Pelo menos do jeito que eu queria. E quanto mais eu rejeitava o pensamento mais ele me impregnava.

Estava em um dia que nenhuma roupa ficava bonita, nenhum espelho tinha a imagem que eu queria e nada era surpreendente o bastante pra me fascinar. O caminho parecia mais longo que o normal, isso sempre acontecia quando eu estava atrasada, do mesmo jeito que aumentava a minha probabilidade de cair em um buraco e a forma que as coisas nas minhas mãos ficavam mais propensas a cair.

Pego meu ônibus e, mesmo encontrando as mesmas pessoas, sinto aquela solidão já conhecida, uma solidão mesmo diante a uma multidão. Passo pelo corredor e meu coração acelera, pois ele sabe que serão seus últimos batimentos, até que ele para apenas pelo fato de seus olhos se encontrarem aos meus.

Teu sorriso tão perfeito e desenhado entra em contato com o meu, largo, sem limites e desengonçado, e quanto mais perto eu vou chegando mais involuntários ficam meus movimentos.

- Será que um dia você vai chegar na hora certa?

- Será que um dia você vai parar de se preocupar comigo?

- Nunca!

- Adivinhou minha resposta.

As luzes foram escurecendo só porque meus pensamentos estavam confusos, até que todas as luzes foram apagadas para dar ênfase a imagem do filme que se passava, e apenas com a visão das sias costas eu sabia que ele estava com o rosto compenetrado, imaginando cada cena na vida dele. Me desligo por alguns minutos e deixo me levar pelo filme. Eu já o conhecia e sabia que por mais triste e real que possa parecer ele não ficava com ela. eu gostava dos filmes assim, quebrava um pouco a ilusão de que o mundo é perfeito e me fazia chegar cada vez um pouco mais perto do chão.



*Madrugadas sempre deixam minha imaginação fértil...ah, e um pouco de filmes românticos e música também ajudam.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

07/04

Por mais romântico que as pessoas possam achar a chuva, eu sinceramente não tenho muita afinidade com ela..principalmente depois de hoje.

Hoje eu acordei com um humor nada agradável, meu computador ainda com birra de não querer ligar, o estresse por não ter a porcaria do instalador do xp, o meu irmão e minha mãe no meu ouvido, ainda não tinha ouvido música e a porcaria da chuva não queria parar pra eu poder sair pra faculdade já que pra melhorar a situação eu to em semana de prova.

Meio aliviada por sair de casa resolvo encarar a chuva, mas o que eu não contava é que o vento não estava nem um pouco ao meu favor. Pedi pra que minha mãe me levasse de carro..mas até ela se arrumar eu ia chegar na hora da minha aula, concluindo, não valeria a pena.

O caminho não foi tão estressante já que eu tinha carregado meu celular pra que eu pudesse ir ouvindo música. Ouvindo Joss Stone é meio difícil meu humor não ficar bom. Mas o vento não colaborava e o guarda chuva já tava pedindo arrego.
Pra atravessar foi engraçado. Eu sempre fecho o guarda chuva..tenho medo de de repente ele fugir da minha mão, cair na frente de um carro, ele perder o controle, pegar as pessoas do ponto, capotar e ser uma tragédia no estilo filme premonição. Tá..exagero...eu sou medrosa mesmo...

Mas não sei o que aconteceu com minha pequena cabeça, eu não fechei a porcaria do guarda chuva. Quando atravessei a primeira rua o guarda chuva virou e revirou umas 5 vezes, tentei fechar ele mas alguma coisa tava fazendo com que ele não descesse...enquanto isso os carros e caminhões passavam e jogavam toda a água existente na rua pra cima de mim. As pessoas do ponto olhavam pra mim com cara de dó, dava pra ver pena trasbordando delas, tipo "tadinha daquela guria..."

Sorte que o onibus chegou rápido, o povo já tava com aqueles papos do tipo "chuva chata né? meu guarda chuva também quebrou ....". Ao chegar no onibus eu percebi que tinha umas cadeiras vazias e um monte de gente em pé. Eu, avoada como sempre, resolvi me intrometer e pedir pra sentar em um dos lugares vagos, o menino, bonito por sinal, me falou "aqui tá molhado" eu olhei pra ele, ri, e falei "sério?" aí ele olhou pra mim, pingando e afastou pra que eu pudesse sentar lá. na verdade Eu molhei a cadeira.
Chegando na faculdade, NINGUÉM da minha sala estava na biblioteca. Quando eu digo ninguém, realmente NINGUÉM! Tive momentos de paz. Mas foi um bom dia..

*Hoje num foi bem texto...foi quase um diário segundo meu irmão...mas tá bom...
*Viciada em bazar Pamplona *-*

terça-feira, 6 de abril de 2010

Minto

Minto que te odeio,
minto que te entendo,
minto que sei a matéria,
minto que respondo a pergunta,
minto que eu sou criança,
minto que nunca imaginei,
minto que o chocolate não foi caro,
minto que isso sempre acontece,
minto que ficar feliz é mais fácil,
minto que sou forte,
minto que eu tava lá o tempo todo e saí só quando você chegou,
minto que já to chegando,
minto que só eu sou toda errada,
minto que só eu sou santa,
minto que vou começar dieta,
minto que foi só daquela vez,
minto que Iguaba é sim uma cidade...
minto que vou ganhar na mega sena,
minto que vou comprar uma casa,
minto que vou abrir uma república,
minto que vou ser feliz,

só pra te fazer sorrir

Feliz dia do amigo...tá ...num é oficialmente o dia do amigo..mas quem liga?? ^^

06/04

Minhas mãos pequenas como as de uma criança brincava entre aqueles cabelos lisos que tão bem combinava com o rosto dele. Amigo. Brincar. Rir. Abraçar e dizer "hoje eu num to legal :S" e ele responder "se olha no espelho e ri.....se dá certo pra mim tem que dar certo pra vc."

domingo, 4 de abril de 2010

Amor na visão de uma criança


Amor é quando alguém te magoa, e você, mesmo muito magoado, não grita,
Porque sabe que isso fere seus sentimentos“ mathew, 6 anos

“quando minha avó pegou artrite, ela não podia se debruçar para pintar as unhas dos dedos do pé. Meu avô, desde então, pinta as unha para ela. Mesmo quando ele tem artrite” rebecca, 8 anos

“amor é quando uma menina coloca perfume e o menino coloca loção pós-barba, e eles saem juntos e se cheiram“ karl, 5 anos

“eu sei que minha irmã mais velha me ama, porque ela me dá todas as suas
Roupas velhas e tem que sair para comprar outras” lauren, 4 anos

“amor é como uma velhinha e um velhinho que ainda são muito amigos, mesmo conhecendo há muito tempo” tommy, 6 anos

“quando alguém te ama, a forma de falar seu nome é diferente“ billy, 4 anos

“amor é quando você sai para comer e oferece suas batatinhas fritas, sem
Esperar que a outra pessoa te ofereca as batatinhas dela“ chrissy, 6
Anos

“amor é o que está com a gente no natal, quando você pára de abrir os presentes e o escuta” bobby, 5 anos

“se você quer aprender a amar melhor, você deve começar com um amigo que você não gosta“ nikka 6 anos.

“quando você fala para alguém algo ruim sobre você mesmo e sente medo que essa
Pessoa não venha a te amar por causa disso, aí você se surpreende, já
Que não só continuam te amando, como agora te amam mais ainda“
Samantha, 7 anos

“há dois tipos de amor, o nosso amor e o amor de deus, mas o amor de deus junta os dois“ jenny, 4 anos

“amor é quando mamãe vê o papai suado e mal cheiroso e ainda fala que ele é
Mais bonito que o robert redford“ chris, 8 anos

“durante minha apresentação de piano, eu vi meu pai na platéia me acenando e
Sorrindo. Era a única pessoa fazendo isso e eu não sentia medo“ cindy,
8 anos

“amor é quando você fala para um garoto que linda camisa ele está vestindo e ele a veste todo dia ” noelle, 7 anos

“não deveríamos dizer eu te amo a não ser quando realmente o sintamos. E se
Sentimos, então deveríamos expressá-lo muitas vezes. As pessoas
Esquecem de dizê-lo“ jessica, 8 anos

“amor é se abraçar, amor é se beijar, amor é dizer não“ patty, 8 anos

“amor é quando seu cachorro lambe sua cara, mesmo depois que você deixa ele sozinho o dia inteiro“ mary ann, 4 anos

“quando você ama alguém, seus olhos sobem e descem e pequenas estrelas saem de você“ karen, 7 anos

“deus poderia ter dito palavras mágicas para que os pregos caíssem do
Crucifixo, mas ele não disse isso. Isso é amor“ max, 5 anos



vi aqui: http://curiosidadesnanet.com/2010/03/definicao-de-amor-segundo-as-criancas/

terça-feira, 30 de março de 2010

Sonhos

Tenho me perdido nos sonhos. Eles são tentadores. "O que faz uma alguém preferir a vida real ao sonho?" era o que eu sempre me perguntava. Eu poderia ir para qualquer lugar, era apenas ver uma foto, um vídeo, a descrição do lugar. Eu poderia fazer o que eu quisesse, só imaginar a cena, o lugar e a ação. Eu poderia ver quem eu quisesse, aquela que a muitos anos eu não vejo, aquele que eu vejo todos os dias, aquela que eu nunca mais queria ver. Eu poderia me imaginar ruiva, loira, morena, negra, japonesa. Mas ontem algo mudou. Eu senti. Eu não poderia sentir. Nunca iria imaginar conseguir sentir. Não há sentimento igual quando seus lábios desesperadamente calmos encostam na minha boca. Sorrateiramente tentei juntar todos os meus sentimentos, cada movimento, cada centímetro, mas meu sonho não conseguiu me enganar. Dessa vez eu não desejo ir dormir eu desperto com qualquer barulho implorando para que seja dia para eu levantar e tentar me transformar de um sapo para uma princesa, mesmo que talvez a história esteja invertida. A rua fica cada vez mais tentadora, já que nela eu tenho a chance de te ver, meus problemas parecem desaparecer e a única coisa que resta é o som da sua voz me chamando de "sua pequena", e acabei me tornando desengonçada já que minha atenção que antes era focada no equilíbrio e na delicadeza, agora reina seus olhos.


Ps.: Eu não to apaixonada heiuheuihee(não por um garoto, muito menos por uma garota --', apenas pelas outras coisas), mas esse texto veio na minha cabeça ontem a noite ^^. Espero que gostem. Ah, e eu continuo presa em meus sonhos.

28/03

Um copo de leite, um caderno e uma caneta eu consigo escrever o que eu vejo, o que eu sinto e o que eu penso para que talvez um dia, não aconteça de tudo juntar na minha cabeça e eu acabar enlouquecendo.

Me perguntaram se eu gosto da madrugada, se eu gosto ficar até as 4 da manhã acordada.
Pra ser sincera eu gosto dos extremos. Gosto da madrugada com seu silêncio, sua paz, sua tranquilidade, momento pra pensar até o que não deveria, momento que me deixa leve. E gosto da manhã, mas manhã quase madrugada. Ver o sol nascer, ouvir os pássaros cantarem, perceber o contraste onde tudo parecia estar morto de repente ganha vida. Sentar na rede e observar as pessoas passarem. Umas correndo, provavelmente atrasadas, ou quem sabe apenas felizes demais para conter a energia, pessoas estressadas por acordarem tão cedo, normalmente passam com uma cara emburrada e um fone de ouvido para talvez despertar, ou apenas para entrar no mundo da música e esquecer um pouco da própria vida.

Depois passa uma pessoa que nem eu. Que, se conseguiu acordar, aproveita. Óculos escuros, meio sorriso no rosto, passa devagar pra prestar atenção em cada detalhe, desde a flor no terreno baldio até o céu imensamente azul. O vento passa fraco e desarruma meus cabelos que a pouco estavam embaraçados. Nesse dia eu resolvi olhar para o céu, e acabei me perdendo nas núvens. O que elas fazem que me seduz tanto? No ouvido Regina Specktor gritava enlouquecidamente, e na pele eu sentia como se estivesse tocando as núvens. Mas para mim elas eram feitas de algodão doce. E como uma criança feliz fechei meus olhos e acabei dormindo na rede.

Ps.: Texto totalmente sem nexo, e sem um assunto fixo...algum dia eu aprendo a escrever direito heiuheuiiuehiehe

segunda-feira, 22 de março de 2010

Nostalgia

Em um desses dias em que todo mundo reclama do sol e eu sou a única que fico sorrindo que nem uma idiota já que sou apaixonada por qualquer intensidade de calor, acabei por me encontrar em Cabo Frio andando de loja em loja com um som no ouvido já que o barulho de carros e pessoas falando me irritam.

Nessa de andar rápido ( já que eu ando na velocidade da música) eu sem querer bato em um garoto.

Sem perceber eu solto um "Woow" e quando eu ia soltar um "num olha pra frente não tio?" Eu vejo que é um amigo meu de muito tempo atrás, sabe um daqueles que você não sabe o porque que para de falar, apenas para?
Nessa de reconhecer eu me senti...VELHA.

Juro que eu ia fazer uma história bonita, tipo um romance que provavelmente poderia acontecer entre nós, aquela enrrolação do mundo parar e a música que tava no meu ouvido fazendo uma trilha sonora linda para o momento, mas não aguentei. Ele tinha os olhos inocentes e um sorriso contagiante, agora ele tá com barba e com um estilo do tipo "vem comigo que eu te mostro o paraíso". Poderia ser algo contagiante, se eu não ficasse pensando "Será que eu mudei tanto quanto ele mudou?".

Depois das novidades, das trocas de orkut's e msn's, voltei ao meu rumo e deixei esse assunto inativo por algum tempo. Em casa, por mais errado que seja já que eu tenho crises enlouquecedoramente alérgicas, eu comecei a procurar fotos antigas. Procurando que nem uma doida eu vi que eu definitivamente era um bichinho estranho.

Eu achei uma foto do tempo que eu morava em Manaus. Eu era a pessoa mais feliz aquele ano, era a primeira vez que eu tinha ficado mais de dois anos em uma cidade, e eu era muito popular por ser conhecida como carioca, mas era estranhamente estranha, parecia um garoto. Usava roupas largas, cabelo sempre preso que não ajudava muito na minha aparência já que eu sempre tive orelhas de abano, vivia de calça jeans e all star. A blusa do colégio era optável por cinco cores, e eu amava a azul (minha 2ª cor preferida). Com certeza não era o tipo de garota que algum garoto olharia, eu era muito agitada e engraçada, mas não era o que podemos definir como bonita. A foto que eu encontrei foi de uma mostra de música dessas que sempre aparecia na minha escola. Naquela mostra eu me modifiquei.

Eu resolvi colocar um vestido apertado, não larguei mão do meu all star e fiz uma escova no meu cabelo. Naquela época e no lugar onde eu morava, salão era coisa pra gente rica, uma escova era em torno de 60 reais, mas como era uma data especial minha mãe queria que eu ficasse bonita. De maquiagem eu só coloquei um lápis de olho bem detalhado, era a única maquiagem que eu sabia usar já que minha mãe sempre foi linda, e nunca usou maquiagem, máximo que ela fazia era usar um lápis de olho e um batom, então eu não usava as outras por não conhecer e não usava batom por que saía da minha boca facilmente já que eu sempre tive a mania de lamber os beiços. No dia da mostra não preciso dizer que as pessoas mal me reconheciam, e eu comecei a despertar olhares curiosos de garotos que antes não prestavam atenção em mim.

Quando anunciaram o meu nome e eu entrei no teatro que por sinal era imenso, eu percebi um silêncio absurdo como se estivessem querendo saber o que aquela garota de pernas grossas, barriga lisa e cabelos lisos estava fazendo indo no meu lugar. Logo em seguida a ficha caiu e uma inundação de cochichos e comentários invadiram o teatro, e o que era apenas um rosto um pouco vermelho virou um tomate com mãos trêmulas. Eu toquei A lua que eu te dei, na versão de Ivete Sangalo que no dia foi cantada por uma grande amiga minha, e eu na base no teclado já eu era a única que tinha coragem suficiente pra ficar apenas na base acompanhando a voz de uma cantora. No teatro só dava pra ouvir o som do meu teclado e a voz extremamente linda e afinada dela. Eu acho que nunca ouvi tantos aplausos quanto àquela vez, foi uma das noites mais agitada da minha vida. No dia seguinte, a escola toda comentava sobre a mostra e sobre minhas pernas a mostra. Mas o resto da história é papo de buteco.

Mas percebi que eu provavelmente mudei bastante. pra começar eu não uso mais roupas largas, troquei meu all-star pela minha sandália rasteira e vivo de cabelo solto. Tá, admito, eu não to tão velha, mas...onde foi mesmo que eu deixei o msn dele...?

beijinhos ;)

Bazar Pamplona - Só pra te ver um pouco

Por que não?

Por que não tirar um dia pra falar que o cabelo daquela garota é horrível e não há nada que ela faça que irá mudá-lo? Por que não falar praquele garoto que ele tem o sorriso mais lindo do mundo? Por que não tirar o dia pra ficar deitada na grama e ver as joaninhas passarem e sorrir para o sol?Por que não tirar o dia para escrever o que eu sinto em um blog pra que não fique impregnado na sua cabeça até um momento que explode? Porque não deixar de ser feliz para os outros e procurar ser feliz pra mim mesma?

quarta-feira, 17 de março de 2010

17/03

Depois de levar muita porrada consegui mudar a cara desse blog :D
To meio sem criatividade pra postar, mas a primeira idéia que vier na minha cabeça eu volto a postar ;)
Espero que tenham gostado do novo layout/template(ainda não entendi a diferenã -.-") como eu gostei/ameeeeeei *-*.
beijinhos e a insônia persiste :(

------------------------------------------------------------------------
créditos pro tio barty que eu esqueci heiuehiuehiuehe
ele que e flou que dá pra trocar..mesmo ele num me ajudando e indo dormir me deixando quebrar a cabeça sozinha =(~ heiuheiuehiueheiuhiehe
www.tuite.blogspot.com

que deixe bem claro aqui que ele também tá me induzindo a ferrar com meu drive HUAISHOAUHSUSHAUSHIAUHSOUS

beijinhos

quarta-feira, 3 de março de 2010

Qualquer Outro Além de Você

Música do filme Juno, uma das músicas mais meigas que eu conheço! Tô com um texto mas to com preguiça de escrever heiuheuheiueheiue. Depois eu escrevo ;). o nome da música é anyone else but you(meio óbvio né?)


Você é amante em parte do tempo e amigo em tempo integral.
O peso nas suas costas é a última moda.
Eu não vejo o que os outros conseguem ver em outra pessoa, além de você.

Eu beijo sua cabeça na sombra de um trem
Eu te beijo com o olhar brilhante, meu corpo está balançando de um lado para o outro.
Eu não vejo o que os outros conseguem ver em outra pessoa, a não ser em você.

Aqui está a igreja e aqui está o campanário.
Nós somos bem "fofos" para duas pessoas feias.
Eu não vejo o que os outros conseguem ver em outra pessoa, além em você.

As pedras me perdoam, as árvores me perdoam
Então porque você não pode me perdoar?
Eu não vejo o que os outros conseguem ver em outra pessoa, a não ser em você.

Eu vou achar meu 'negócio' no seu carro
Com meu MP3 DVD acoplados no violão
Eu não vejo o que os outros conseguem ver em outra pessoa, a não ser em você.

Du du du du du du dudu
Du du du du du du dudu
Du du du du du du dudu du

Cima cima baixo baixo esquerda direita esquerda direita B, A start
Só porque nós usamos códigos (de vídeo game) não quer dizer que não somos espertos
Eu não vejo o que os outros conseguem ver em outra pessoa, a não ser em você.

Você sempre está tentando tornar real
Eu estou apaixonado pela maneira como você se sente
Eu não vejo o que os outros conseguem ver em outra pessoa, a não ser em você.

Nós dois temos felizes e brilhantes crises de raiva
Você quer mais fãs, eu quero mais palco
Eu não vejo o que os outros conseguem ver em outra pessoa, a não ser em você.

Dom Quixote era um condutor "durão"
Meu nome é Adam e eu sou seu maior fã
Eu não vejo o que os outros conseguem ver em outra pessoa, a não ser em você.

Levanto sua cabeça e faço uma dança
Você tira uma sujeira da parte de baixo da sua calça
Eu não vejo o que os outros conseguem ver em outra pessoa, a não ser em você.

Du du du du du du dudu
Du du du du du du dudu
Du du du du du du dudu du

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Momento Marley

"A maior covardia de um homem é despertar o amor de uma mulher sem ter a intenção de amá-la."

"Difícil não é lutar por aquilo que se quer, e sim desistir daquilo que se mais ama. Eu desisti. Mas não pense que foi por não ter coragem de lutar, e sim por não ter mais condições de sofrer"

"Vocês riem de mim por eu ser diferente, e eu rio de vocês por serem todos iguais"

"Não viva para que a sua presença seja notada, mas para que a sua falta seja sentida..."

"Não ligo que me olhem da cabeça aos pés..porque nunca farão minha cabeça e nunca chegarão aos meus pés"

"Preocupe-se mais com a sua consciência do que com sua reputação. Porque sua consciência é o que você é,e a sua reputação é o que os outros pensam de você. E o que os outros pensam, é problema deles."

"Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos, haverá guerra."

"Para que levar a vida tão a sério, se a vida é uma alucinante aventura da qual jamais sairemos vivos."

"Queria ser um baseado para nascer em seus dedos, morrer em seus lábios, e fazer sua cabeça."

"Não cruze os braços diante de uma dificuldade, pois o maior homem do mundo morreu de braços abertos!"

"Sou louco porque vivo em um mundo que não merece minha lucidez"

"Se choras por não ter visto o pôr do Sol, as lágrimas não te deixarão ver as estrelas."

"Um dia vou morrer, afinal todos irão morrer, vão me enterrar, um fazendeiro muito louco vai me adubar e me transformar em um lindo pé de maconha. Só assim poderei saber que mesmo depois de morta continuarei fazendo sua cabeça!"

"Seja humilde, pois, até o sol com toda sua grandeza se põe e deixa a lua brilhar."

"Ninguém pode voltar no tempo e fazer um novo começo.Mas podemos começar agora e fazer um novo fim !"

"Amor: 4 Letras, 2 Vogais, 2 Consoantes e 2 Idiotas"

Bob Marley

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Eu odeio mosquito

(texto antigo)

Eu sei que já disse que eu amo o calor, mas não significa que eu precise gostar de suas variáveis. Mosquito é um bicho ruim, inútil e ainda traz doenças. Ele é o responsável por 80% das noites mal dormidas de alguém no verão, eles são irônicos, já percebeu que quando você tenta matar, eles conseguem fugir de um maneira incompreensível e parece que ainda cantam no seu ouvido pra mostrar o quanto otário você é deixando ser driblado por um mosquito? Se ele é alimento pra algum animal temos as moscas que são chatas mas são menos. Tem uns que são caras de pau que só param de sugar o sangue depois que morrem. Tem uns que se alimentam de seiva que eu até achei interessante já que pareciam mosquitos mutantes, eles são gigantes. Pra completar eles ainda transmitem doença, que eles apenas servem como ponte. A melhor invenção contra eles é a famosa raquete. Eu me lembro que quando eu ganhei uma eu não queria nem dormir, fui até pra fora de casa pra achar mais mosquitos. Por mais maléfico que seja eu adorava ver os mosquitozinhos sendo estourados, queimados, e eu adorava o barulhinho que fazia, é como se aquele “ploc” fosse um “diga olá para uma noite de sono tranquilo e de muita paz”.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

17/02

Já escondi um AMOR com medo de perdê-lo, já perdi um AMOR por escondê-lo.
Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos.
Já expulsei pessoas que amava de minha vida, já me arrependi por isso.
Já passei noites chorando até pegar no sono, já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos.
Já acreditei em amores perfeitos, já descobri que eles não existem.
Já amei pessoas que me decepcionaram, já decepcionei pessoas que me amaram.
Já passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou, já tive tanta certeza de mim, ao ponto de querer sumir.
Já menti e me arrependi depois, já falei a verdade e também me arrependi.
Já fingi não dar importância às pessoas que amava, para mais tarde chorar quieta em meu canto.
Já sorri chorando lágrimas de tristeza, já chorei de tanto rir.
Já acreditei em pessoas que não valiam a pena, já deixei de acreditar nas que realmente valiam.
Já tive crises de riso quando não podia.
Já quebrei pratos, copos e vasos, de raiva.
Já senti muita falta de alguém, mas nunca lhe disse.
Já gritei quando deveria calar, já calei quando deveria gritar.
Muitas vezes deixei de falar o que penso para agradar uns, outras vezes falei o que não pensava para magoar outros.
Já fingi ser o que não sou para agradar uns, já fingi ser o que não sou para desagradar outros.
Já contei piadas e mais piadas sem graça, apenas para ver um amigo feliz.
Já inventei histórias com final feliz para dar esperança a quem precisava.
Já sonhei demais, ao ponto de confundir com a realidade... Já tive medo do escuro, hoje no escuro "me acho, me agacho, fico ali".
Já cai inúmeras vezes achando que não iria me reerguer, já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais.
Já liguei para quem não queria apenas para não ligar para quem realmente queria.
Já corri atrás de um carro, por ele levar embora, quem eu amava.
Já chamei pela mamãe no meio da noite fugindo de um pesadelo. Mas ela não apareceu e foi um pesadelo maior ainda.
Já chamei pessoas próximas de "amigo" e descobri que não eram... Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais para mim.
Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração!
Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente!
Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão.
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra SEMPRE!
Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes.
Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.
Você pode até me empurrar de um penhasco q eu vou dizer:
- E daí? EU ADORO VOAR!

Clarice Lispector

“Foi então que eu percebi o quanto lhe quero tanto”

(texto antigo)

O sol naquele dia estava brilhando mais forte, as cores estavam mais vívidas, eu percebia detalhes que normalmente eu nem imaginava em perceber, eu conseguia sentir o cheiro das flores, conseguia sentir vários cheiros, principalmente o cheiro dele. Não sei se ele usava perfume, mas tinha algo no cheiro dele que me atraia. De longe eu o vi, comecei a ficar corada e com as mãos suadas, meu coração se igualou ao do beija-flor que voava ao meu lado, e eu me odiei por parecer tão óbvio que eu estava apaixonada.

Quando ele me viu ele me deu um sorriso, um sorriso especial, um sorriso dirigido somente a mim, um sorriso que aparecia todos os dentes, todas as emoções, todo o “finalmente te encontrei”.

Tentar agir normalmente me deixa muito mais desengonçada do que eu já sou, então minha timidez aflora, e eu definitivamente não sou tímida. Até que ele me abraça.

Por mais estranho que seja, só em sentir o cheiro dele, o corpo dele encostado no meu eu, meu coração se habitua e começa a bater juntamente ao dele, como uma valsa, sem erro.

Minha mente se desloca do mundo e se fixa apenas naquele momento, naqueles braços, naqueles olhos, naqueles lábios.

O mundo some e parece uma pintura borrada, e por mais que não esteja direcionada a ele, a minha atenção é só dele. Agir normalmente pode ser uma tarefa complicada.

O abraço é uma coisa estranha, é como se desligasse meu corpo e me deixasse em um momento de demência, como se o resto não importasse, que eu estava segura, que eu não precisava de mais nada, não tinha sede, não tinha fome, somente o abraço me satisfazia, e eu morria de medo de mecher um simples músculo e me desfazer de seus braços.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

02/02

Olho pro lado e vejo uma pequena concha. Qualquer um que passe e veja não veria nenhuma diferença nela, mas ao meu ver é a concha mais bela de todas que um dia eu já encontrei. Exagero. Não necessariamente a mais bonita, mas a que mais chamará minha atenção. Branquinha com poucos traços escuros. Quando eu a encontrei, com certeza não era um dos meus melhores dias, sentei na areia e olhei pro nada por um bom tempo. Pensei sobre tudo e todos, viajei, se bobear filosofei. O horizonte sempre me hipnotizou, pode ser uma coisa boba, mas quando eu o vejo imagino histórias de outras pessoas, histórias de famílias ou pessoas solitárias que vivem longe daquele horizonte que eu consigo ver. Quanta coisa eu ainda quero/preciso ver e eu aqui, apenas imaginando. Daí que sem querer eu desviei meu olhar e caí nessa conchinha pequena e insignificante, e acabei achando parecida comigo. Pequena e insignificante diante da grandeza do resto do mundo.
Engraçado como de tantas outras conchas, quem sabe até mais bonitas, e eu acabei escolhendo aquela. Quem sabe algo maior não acaba me encontrando ;)



*The Who - getting in tune
*Adriana Calcanhoto - Fico assim sem você
*Biquinão - Vento Ventania
*Cidadão Quem - Pinhal (*-*)

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

01/02

“Mas então veremos face a face”

Quantas vezes falamos coisas sem pensar? Quantas vezes agimos sem pensar? Isso pra mim é natural, mas dói quando machuca alguém importante nas nossas vidas. Mas ocorre o desabafo, mesmo as vezes sendo um pouco bruto demais.

Descobri que sou como um copo d'água, algumas coisas começam a me irritar, e eu não percebo que isso vai se juntando, ás vezes por que eu não acho necessidade de comentar por vários fatores, mas chega uma hora que uma coisa - ás vezes simples - faz com que estoure tudo.

Aí mela a parada toda ¬¬".

Vo começar a mudar e ser uma pessoa melhor. Tenho que ser feliz pq a vida é bela a vaca é amarela e tudo depende da flexibilidade do rabinho da tartaruga :D.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

29/01

Faltava pouco, muito pouco pra estourar.
Hoje estourou.
Foda-se!
Hoje eu não estou bem.
Hoje eu não estou legal.
Hoje eu não estou feliz!

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

26/01

Na minha humilde cabeça todos nascemos com a possibilidade de fazer todas as coisas erradas de todas as maneiras erradas, o que nos impede é o simples fato da ética. Mas às vezes encontramos coisas que podem quebrar a ética de um jeito imperceptível. Um desses jeitos é que a ética pode ser entendida de diversas maneiras por diversas pessoas, daí que vem grupos sociais, grupos religiosos, cada um com o seu conceito de certo e errado, e sempre se agregam a outros para que tenham a ilusão de estarem mais certos que os outros, e acharem que o certo é aquele que tiver mais gente. A outra são coisas bobas, como um reality show. Certo dia estava na rua e passei na frente de um bar que estava passando o bbb, e tinha um aglomerado de pessoas, até que eu ouvi uma conversa.

- Nossa, eu odeio esse cara, ele é tão falso.
- E aquela garota? Nossa, tomara que ela saia logo!

Quando que uma coisa é boa a partir do momento que você pensa o pior, a infelicidade pra um outro que você nem se quer conhece? Você vê uma prova e logo pensa "tomara que aquela pessoa perca", já pensou que aquela pessoa está sendo totalmente diferente por causa da pressão da possibilidade de ganhar muito dinheiro pra quem sabe conseguir ser alguém na vida, e que às vezes é uma pessoa muito boa, que tem uma vida legal e nunca fez mal a alguém?

Sem falar que faz com que um se vire contra o outro, que ocorra desentendimentos para que aumente a audiência. Pra se conseguir IBOPE precisa apenas de sexo, bebida e um pouco de briga.

O romance passa longe. O máximo é colocar uma música lenta enquanto um casal se beija. nenhum casal que se formou em um reality show durou muito tempo. Quando que uma pessoa pode conseguir amar a outra então pouco espaço de tempo, sem saber como é a vida, o que faz, o que realmente gosta quando não se tem câmeras focalizadas neles.

Todo mundo tem uma mania estranha, e todos aqueles que resolveram mostrar não conseguiram ficar muito tempo no jogo. Não gosta de tomar banho, fica estressado quando é evitado, gosta de se depilar na banheira, sem falar nos homossexuais.

Agora resolveram adentrar gays e lésbicas alegando que não tem preconceitos. COMO? Se são separados em grupos, e um grupo é "coloridos". Daqui a pouco vão fazer um "Escuros" pros negros? "Olhos puxados" pros chineses? Avisem quando fizerem um grupo pros "baixinhos"...só que eu vou ter que disputar contra os anões.

Só pra não dizer que é uma coisa inteiramente ruim, as músicas normalmente são boas.



*Ouvindo Jack johnson

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

21/01

Tem coisas que acontecem que depois você para, olha e percebe que tudo se encaixa do jeito que deveria se encaixar. Coisas vão acontecendo aos poucos e sem perceber o pensamento muda completamente.

As vezes olhar pro passado é ruim , mas se parar pra analisar direito, percebe que também é bom, e não tem nada mais confortante saber que eu já fiz alguém sorrir numa época em que ela só chorava, mesmo sendo uma coisa passageira, as vezes pode ser algo que tanto a fortaleça quanto me fortaleça.

Que eu nunca fique daquele jeito, que eu nunca pareça estar mal, que eu sempre cuide e não seja cuidada.

Pode ser orgulhismo o que for, mas prefiro que os outros precisem de mim do que eu precise deles, não que eu não precise de ninguém, longe disso, mas acho que o medo de me machucar acaba me deixando mais forte.

"Depois da tempestade vem a calmaria". No momento eu to parada, calma e leve. Não quero o demais nem o de menos, quero apenas o suficiente para me fazer sobreviver.

Quero usar e abusar dos meus amigos, quero rir até minha barriga doer, quero uma oportunidade pra dizer: "Que merda, eu te amo!"

Me perguntaram "você está feliz nesse exato momento?"

Como uma frase de 6 palavras pode mexer tanto com a cabeça? Na hora a gente fala "Caara eu to muuito feliz", mas depois você para e pensa sobre o conceito de felicidade, que é um assunto meio complexo, quem sabe sem uma conclusão.

Naquele momento eu pude ter uma pequena ilusão de felicidade.

*PS.: Meu estômago tá dando mais voltas que a minha cabeça

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Um pouco de luz por favor.

Parei um pouco de escrever aqui no blog, minha criatividade não está lá essas coisas e eu não ando com muita vontade de escrever vários textos em um dia..então eu vou deixar aqui o texto que eu postei no meu FOTOLOG, vê lá depois ;)



Pra quem me conhece pelo menos num espaço de 3 meses (as vezes até menos) sabe que eu tenho um sério problema com garganta. Aparentemente eu tenho amigdalite, sinusite e rinite, mas o terror é a amigdalite. Já tive o rosto tão inchado que eu parecia uma japonesa gorda. Nessa minha trajetória trágica eu me divertia com os sustos das pessoas, como uma vez que fui num hospital da marinha, e lá só tinha clínico geral, eu me lembro que eu vi primeiro susto, depois terror, depois dó quando ele viu a minha garganta. Mas atualmente é um médico especializado que está vendo minha situação, e ele ta mais agoniado do que eu pra tirar elas da minha garganta. Mas para fazer a cirurgia eu tinha que fazer alguns exames, entre eles o eletro e o hemograma completo.

Quando eu fui fazer o eletro, foi com um tiozinho muito simpático por sinal, e ele foi contando a história de que no tempo que ele trabalhava no Marcílio Dias (O melhor hospital da marinha) ocorreu uma situação inusitada, ele fez os exames em uma mulher, mas todos os médicos, principalmente a paciente falou que ele fez o trabalho dele errado, que o exame estava errado. Ele fez o exame na mulher 3 vezes e os resultados foram nulos ou algo desse tipo, até que depois de bastante tempo e de uma quase demissão descobriram que a mulher tinha o coração do lado direito o.0. Mas o melhor não e isso, o melhor é ele falar isso enquanto tava fazendo o meu exame, aí minha mãe já assustada falou pra ela “Mas ela tem o coração no lugar não tem?” heuiheuiiehieuheuihehuieh

O Hemograma foi um momento de tensão, primeiro porque a última vez que eu tirei sangue eu desmaiei, e não não é porque eu tenho medo de sangue ou de agulha, é porque eu tava muito fraca mesmo, mas isso é assunto de um outro post, segundo é que o cara não conseguiu achar minha veia. Eu sou muito branca, mas mesmo assim é meio difícil de achar a minha veia, mas até que eu gostei dele, porque da última vez que um cara não tinha achado a minha veia ele tinha resolvido procurar com a agulha :@.

Depois de momentos de procura e minha mãe desesperada do outro lado da porta finalmente encontrou a minha veia, que segundo o outro tiozinho (já que o mais novo num tinha conseguido achar, pediu arrego e pediu pro tiozinho procurar) era uma veia “bem cheinha”. Tudo bem, depois do sacrifício de 3 tubos de sangue vem a surpresa, ele queria tirar sangue da minha orelha.
- Pronto, agora vou tirar da sua orelha.
- Da minha orelha?
- É...tava junto com os exames.
- Tá, mas peraí...minha orelha?
- Ah, vocês jovens vivem furando a orelha, uma espetadinha não vai fazer mal.
Heuheuhuehuheueheueuhe
Esse tiozinho é foda lol!

Mas pois é..depois da “espetadinha” eu descobri que eu sangro muito e muito rápido “/, capaz de não poder fazer a operação. Mas o pior não é isso, o pior é que o resultado só sai daqui a 20 dias úteis. Daqui a 20 dias úteis ta muito perto do carnaval, e eu com certeza não vou passar o carnaval de repouso, portanto vou fazer a operação depois do carna. Porque pular num precisa falar certo?

*Postei ouvindo:
- Three little Birds - Sean Paul e Ziggy Marley
- Sobra tanta falta – Teatro Mágico
- Michael Bublé – Me and Mrs Jones
- Manguetown – Paralamas do sucesso
- De fé – Engenheiros do Hawai
- Negro amor – Engenheiros do Hawai
- MxPx – Punk Rawk Show
- Bob – NOFX
- Enquanto houver sol - Titãs
- Magic - Colbie Caillat

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

07/01/2010

Dia desses eu lembrei de um conto de fadas que quando eu achei interessante já que eu não conhecia. Eu como uma péssima nerd num consegui achar ( não consegui nem pelo glorioso tio google -.-" ) a história que foi contada, mas vai aí mais ou menos a história ( com um toque especial da ori :D ).

Era uma vez uma guriazinha que queria muito saber voar, até que uma noite um anjinho foi no quarto dela e falou que ela tinha direito a um pedido. Ela toda feliz pediu pro anjinho que ela tivesse asas pra poder voar e ver tudo lá do céu. Então, em um estalar de dedos, asas começaram a nascer nas costas dela, e o anjinho falou que só de manhã elas iriam terminar de nascer, que era pra ela voltar a dormir, e assim ela dormiu. No dia seguinte suas asas já estavam bem grandes, e logo ela quis testar. Ela voou alto, muito alto, viu lugares lindos, mas logo ela começou a se sentir sozinha, não tinha ninguém pra conversar com ela. Então ela ficou num lugarzinho e chorou, chorou, chorou, então o anjinho apareceu e perguntou porque que ela estava chorando, aí ela não queria mais ter asas porque as pessoas que ela amava ficavam lá em baixo. O anjinho ficou com pena e tirou as penas dela ( hohoho ) ..aí ela voltou a ser feliz. FIM

Ou algo disso..aí a guriazinha falou pra mãe dela "preferiria ficar sem as asas do que ficar longe de você" own! Isso é do filme A orfã que eu até agora não consegui terminar de ver já que o filme que me deram cortou no final -.-".

Éé..a minha internet tá bem ruim, e minha criatividade pior ainda, por isso que não to postando tanto "/
Feliz Ano Novo
Té a próxima
=**